Segunda-feira, 28 de Julho de 2008
Quantos "gigas" tens?

 Não querendo mostrar (mas ainda assim fazendo-o) a minha faceta mais geek, ou "jik", como já ouvi dizer na minha nova "escolinha", aqui vai:

 

O meu primeiro contacto com a informática deu-se através de uma fabulosa máquina chamada Sinclair ZX Spectrum +2State of the art ou o caraças, de qualquer forma era comparado com o modelo anterior que, desgraçado, para além de metade da memória disponível ainda carecia de um leitor/gravador de cassetes separado.

 

Mas adiante... entusiasmado com o animal descobri que podia criar os meus próprios programas e até... jogos! Deitei mão a uns livritos e embora!

 

Vamos só acertar uns detalhes: a memória RAM (Random Access Memory) é de uma forma simplista a o "espaço" que um computador dispõe para armazenar as instruções todas de um determinado programa de forma a poder corrê-lo. Hoje em dia já é muitíssimo comum um laptop ter 2BG de RAM. O ZX Spectrum +2 pesava aproximadamente o mesmo que um pequeno laptop actual mas ainda precisava de um televisor para ter alguma utilidade, e tinha 128KB... Pausa:

 

byte = 8 bits (pode pensar-se no bit como uma "casinha de botão" que aceita apenas dois valores: 0 ou 1 - um dígito binário)

1KB (kilobyte) = 1024 bytes

1MB (megabyte) = 1024 KB

1GB (gigabyte) = 1024 MB

 

Um carácter simples num SMS, por exemplo, em princípio necessita de um byte para ser registado, estão a ver a ordem de grandezas? Um programa é feito disso mesmo, de uma forma simplista, caracteres que contêm as instruções para a execução daquilo que é suposto este fazer.

 

Num livrinho de um Richard G. Hurley chamado Aventuras Gráficas Para o Spectrum 48K (de 48KBs de RAM, um predecessor menos abastado em termos de memória do meu 128KB, mas cuja linguagem de programação era mais ou menos suportada), editado pela Presença em 86 do século passado, encontrei hoje, e não me perguntei porque abri sequer o espécimen, conselhos valiosos sobre o aproveitamento de recursos de memória. A dada altura:

 

"Um  problema muitas vezes observado quando se escrevem programas compridos (...) é a falta de memória (a chamada RAM) (...) particularmente porque qualquer valor numérico ocupa, pelo menos, 7 bytes.

 

(...) mas existem  diversas forma de economizar quando se trata de dados numéricos.

 

(...)

 

O valor 0 (zero) é um dos mais frequentemente usados em qualquer programa, e é possível poupar bastantes bytes (5 num total de 7) substituindo-o pela expressão NOT PI...

 

(...)

 

Pode também poupar-se memória reduzindo valores numéricos a cadeias (strings) (...) por exemplo, o valor numérico 12 por «VAL = "12"». A quantidade de memória assim poupada será de 3 bytes. (...) Nesta aventura [programa exemplificado], as técnicas citadas permitiram poupar aproximadamente 6KB (!)."

 

Terão presente o que são estes 6KB hoje? Nada! Mas há tão pouco tempo fariam diferença na possibilidade de passar horas e horas agarrado a uma treta de computador, que nem monitor tinha, era preciso chatear os velhos para usar o televisor da sala.

 

Estamos na era dos superlativos, enormidades!


Estou:

desinfectado por Jonas às 22:59
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 20 de Julho de 2008
Da convivência com insectos

 Num curto espaço de tempo, é a bipolaridade.

 

Numa arrumações e limpezas bem merecidas cá por casa dei, no chão, com uma série de carcaças variadas de moscas, traças, uma abelhita ou outra e coisas que não sei o que seriam... hum... mais acima uma teia de aranha e a dita lá bem no meio, aquela de chuchou alegremente as criaturas supracitadas como se de percebes cozidos se tratassem. É gorda e feia como o raio, com uma peidola reluzente que lembra uma bolota seca, patas oito e compridas. Decidi deixá-la em paz... bem, mais ou menos: o tamanho da armadilha tinha-se tornado obsceno, foi podada. Espero que não se se aborreça demasiado e se pire, é que faz-me falta nesta parceria. Ela tem um lar e come a bicharada que tente entrar pela janela da marquise (sim, porra! Tenho uma merda dessas. O meu senhorio é mais um desses fetichista do alumínio, antes fosse um dos que comem trampa...) e eu tenho a casa menos mal frequentada. Tenho esperanças até que ela cresça o suficiente para se atirar aos pombos, desde que reconheça o "patrão".

 

Por outro lado, pelo do tornozelo, fui picado por uma vespa durante uma volta de ginga, a puta, nem a vi... só senti a ferroada e gani. O mais chato é que isto inchou, como é natural, agora tenho um daqueles tornozelos com nomes específicos, sabem? indistintos ente a canela e o pé... Puffy ankles ou canelas de elefante. Que merda.



desinfectado por Jonas às 22:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quarta-feira, 25 de Junho de 2008
Não é para fazer pouco...

...mas problemas de incontinência devem ser uma merda (ou uma mija, seria mais apropriado), daquelas maleitas mesmo humilhantes subtractoras de uma grande dose de autoconfiança. Até o finado Pacheco se queixava, "Eu não estou nada bem. Tenho muitas doenças, talvez umas vinte e três. Agora tenho uma merda chamada incontinência. Para um gajo é muito mau andar de fraldas."

 

A boa notícia é que já existe uma oferta generosa de soluções diferenciadas para cada caso. Sim, porque há grandes diferenças. Ora atente-se num inquérito do site de uma das marcas presentes no mercado:

 

De que tipo são as suas perdas?

a) Gota a gota constantemente

b) Algumas gotas quando tosse, ri, espirra ou carrega pesos

c) Grandes perdas (o correspondente a meio copo)

d) Quase todo o conteúdo da bexiga (mais do que um copo cheio)

 

Mais uma vez, não querendo fazer pouco de quem padece de tal moléstia, é muito bom poder solicitar amostras de artigos para estes problemas em nome de colegas nossos ou, ainda melhor, para os patrões... quando chega o pacote é daquele tipo de terrorismo saboroso.

 

Amostras gratuitas



desinfectado por Jonas às 13:08
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 24 de Junho de 2008
Inadequado

O relógio despertador é um aparelho inadequado ao manuseio por pessoas ensonadas, comigo dá muitas vezes mau resultado.



desinfectado por Jonas às 16:09
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 6 de Maio de 2008
por favor...

...coloquem no meu léxico expressões como "a dobra da mama" ou "barriga descaída" apenas quando for estritamente necessário, isto é, quando tiver idade para isso. Agradecido.



desinfectado por Jonas às 16:13
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 23 de Abril de 2008
Devo ter uma vida boazinha (ainda assim)...

...sem grandes dramas, desgostos avassaladores ou perdas catastróficas e coisas desse género. Só pode assim ser para um gajo que ainda guarda a perturbação de um sonho com meses, anos!

 

Éramos meninos e algo de terrível tinha acontecido, mais terrível do que uma criança poderia imaginar. Eu sabia-o pela como me olhavam todos aqueles que se assomaram ao jardim. Sabia-o por ver o teu triciclo tombado e as marcas no chão. Ninguém se atrevia a dizer aquilo que eu já adivinhava, apenas olhavam piedosamente.

 

Nem um sinal de ti, apenas sinais de que fora violento. Porra!



desinfectado por Jonas às 20:57
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 21 de Abril de 2008
Pastelaria fina

Salvo honrosas excepções, considero as manifestações clubísticas em torno do futebol da maior boçalidade, mas enfim... não desgostando de 'bola', eu sou mais de uma onda de cagari-cagaró.

 

Straight to the point:

Achei cá uma graça ao encontrar em todos os caracóis da 'pastelaria' que frequento uma total ausência das tradicionais frutas vermelhas.

 



desinfectado por Jonas às 12:17
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 18 de Abril de 2008
Argumentos contra amantes relutantes



desinfectado por Jonas às 10:34
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 11 de Abril de 2008
Porque o melhor do mundo são as criancinhas...


desinfectado por Jonas às 22:44
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 9 de Abril de 2008
Mimoso

(in 'gloriosa Maria não sei de quando)

 

Está tudo muito bem, o homem é explicadinho e sabe o que quer. Gosto do preciosismo das idades,  mas o melhor de tudo é a parte do  "católica, mas não praticante". Ou por outras palavras: que não seja nenhuma 'glutona' qualquer mas que se preste a uns 'servicinhos' mais ímpios.



desinfectado por Jonas às 14:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Eu
Remexer
 
Últimos

Quantos "gigas" tens?

Da convivência com insect...

Não é para fazer pouco...

Inadequado

por favor...

Devo ter uma vida boazinh...

Pastelaria fina

Argumentos contra amantes...

Porque o melhor do mundo ...

Mimoso

Fossa Séptica

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

subscrever feeds
Trapalhada

todas as tags