Segunda-feira, 9 de Outubro de 2006
Customer 'Dare'
Um destes dias Houve por aqui no emprego uma acção de formação sobre atendimento ao cliente e gestão de conflitos. Estava mortinho para que não fosse convocado. Cheio de outras coisas para resolver, só me iria fazer perder tempo.

Não quero saber que entoação hei-de dar à voz quando aturo um cliente atrasado mental com uma reclamação idiota do outro lado da linha. Não faz sequer parte das minhas funções. E se tiver, em algum caso, de levar com uma estopada dessas já tenho a lição estudada.

O senhor Ignatius J. Reilly resume muito bem a atitude a tomar nesses casos nesta carta que aqui transcrevo. Trata-se da resposta a uma reclamação de um cliente que recebeu da fábrica onde o senhor Reilly exercia funções. Aparentemente a Abelman's Dry Goods recebeu um lote de calças cujas pernas teriam apenas 50cm.

Abelman's Dry Goods
Kansas City, Missouri
USA

Ex.mo Sr. Abelman (Mongolóide):

Recebemos pelo correio os seus absurdos comentários acerca das nossas calças, os quais revelam a sua total ausência de contacto com a realidade. Se estivesse mais atento, saberia ou ter-se-ia apercebido de que as calças em questão lhe foram enviadas com o nosso conhecimento cabal de que o comprimento no era o adequado.

«Porquê? Porquê?», perguntará o senhor, no seu balbuciar incompreensível, incapaz de assimilar conceitos comerciais estimulantes devido à sua vista do mundo atrasada e frustrante.

As calças foram-lhe enviadas (1) para pôr à prova o seu espírito de iniciativa (uma empresa inteligente e de horizonte largo deveria ser capaz de transformar as calças a três quartos no último grito da moda masculina; os seus programas de publicidade e de tácticas de comercialização são, obviamente, deficientes) e (2) para testar a sua capacidade de preencher os requisitos de distribuição do nosso produto de qualidade (os canais de escoamento que nos são fiéis e que confiam em nós conseguem vender todas as calças que tenham a etiqueta Levy, por quito abominável que seja o corte e a confecção; aparentemente, o senhor é uma pessoa sem fé.

Futuramente, não queremos ser incomodados com reclamações tão enfadonhas. Por favor, limite a sua correspondência connosco apenas às encomendas. Somos uma empresa activa e dinâmica, em que a insolência desnecessária e o incómodo só servem para estorvar a nossa missão. Se Voltar a molestar-nos, senhor, pode vir a sentir o gosto amargo da nossa Vingança.

De V. Ex.ª
Furiosamente.

Gus Levy
(Presidente)

Excerto de Uma Conspiração de Estúpidos de John Kennedy Toole.


desinfectado por Jonas às 00:57
link do post | comentar | favorito
|

Eu
Remexer
 
Últimos

Quantos "gigas" tens?

Da convivência com insect...

Não é para fazer pouco...

Inadequado

por favor...

Devo ter uma vida boazinh...

Pastelaria fina

Argumentos contra amantes...

Porque o melhor do mundo ...

Mimoso

Fossa Séptica

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

subscrever feeds
Trapalhada

todas as tags