Sexta-feira, 3 de Novembro de 2006
Olores
Hoje no metropolitano fui abalroado por algo já tão longe do meu mundo que me aturdiu. O olor inconfundível de uma paixoneta minha do liceu. Curioso, não perfumado mas agradável, irresistível, diria. Uma coisa bestial que não se descreve ou explica, apenas apelo.

Dei voltas sobre mim mesmo e depois, sem encontrar quem esperava ver, cá dentro, pelas memórias. Vi-me transportado para bancos de jardim no princípio do Outono, anos atrás, partilhando um par de headphones de um Walkman Sony com um temperamento estranho, insistia em tocar ambos os lados da cassete ao mesmo tempo, um para a frente e o outro invertido. Um apalpão aqui, um beijo ali. A magia de descobrir corpos e gente dentro deles.

Somos tão deliciosamente parvos quando putos...


desinfectado por Jonas às 23:11
link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De Jonas a 6 de Novembro de 2006 às 01:07
Sim, e tem mais pinta. :P


De Mazinha a 4 de Novembro de 2006 às 21:12
Olor é sinónimo de odor...


De Anónimo a 4 de Novembro de 2006 às 20:42
olor?
odor, talvez!?
Eu


De Anónimo a 4 de Novembro de 2006 às 20:41
olor?? odor!!


Comentar post

Eu
Remexer
 
Últimos

Quantos "gigas" tens?

Da convivência com insect...

Não é para fazer pouco...

Inadequado

por favor...

Devo ter uma vida boazinh...

Pastelaria fina

Argumentos contra amantes...

Porque o melhor do mundo ...

Mimoso

Fossa Séptica

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

subscrever feeds
Trapalhada

todas as tags